sábado, 16 de março de 2013

Taças: a escolha certa.

Sabadão é dia de reunir a família, amigos... sair com o amor para beber um bom vinho. Saiba qual taça escolher e como ela pode interferir na percepção do sabor.




A escolha da taça certa

A escolha da taça pode interferir na percepção de um vinho. Por isso, algumas regras básicas devem ser seguidas na hora de escolhê-la. Veja as dicas:

1. As taças devem ter curvas nos lugares adequados. O fundo deve ser arredondado para ajudar a aerar o vinho e a parte superior deve ser mais fechada, para que os aromas não "fujam".

2. As taças devem ter haste comprida, para que nossas mãos não toquem o bojo e esquentem o vinho.

3. O cristal deve ser transparente e liso, pois desta maneira conseguimos apreciar melhor as cores e o brilho do vinho.

4. Os vinhos mais antigos requerem taças com boca um pouco mais larga, enquanto nos vinhos jovens a largura da boca deve ser menor.

5. Espumantes devem ser servidos nas chamadas taças flûte, que são mais altas, mais finas, e quase cônicas na parte superior. São adequadas pois permitem que o vinho não perca sua efervescência e que os aromas se assentem.

6. Apesar de, teoricamente, os vinhos tinto e branco poderem ser degustados numa taça igual, o ideal é que a de vinho tinto seja maior, pios é um vinho de sabor mais forte e que necessita de mais movimento para poder respirar.

7. Não se deve encher a taça ao servir um vinho, pois ele perde espaço para aerar e liberar seus aromas. Dois ou três dedos é ideal.

Fonte: Revista Adega